O mundo é nosso!

Marcelo Cordeiro Correia war in Leipzig bei meiner Show und berichtet darüber in seinem Weblog (auf  Portugiesisch):

Como sempre, a melhor conversa acontece a uma mesa de bar e não entre estandes de editoras. No sábado, depois do desfile de Mangá disfarçado de feira do livro, fomos ao magnífico teatro UT Connewitz de Leipzig, um dos cinemas mais antigos da Alemanha, para assistir à leitura de O mundo é nosso, do austríaco Klaus Werner-Lobo.

Felizmente ainda não restaurado, o teatro ainda conserva a abóbada e as tribunas originais, de 1912. Alguém poderia pensar que aquilo tudo era um desperdício para uma simples leitura. Um cantinho do considerável palco bastaria para todos os objetos necessários para fazer literatura: uma mesinha redonda e cadeira, um abajur iluminando o livro. Só faltava o escritor. „O mundo é nosso!“ weiterlesen

liberdade e segurança

Mãe e filha estavam caminhando pela praia.
Num certo ponto, a menina perguntou:
– “ Como se faz para manter um amor ? “
A mãe olhou para a filha e respondeu:
-“ Pegue um pouco de areia e feche a mão com força…“
A menina assim fez e reparou que quanto mais forte apertava a areia coma mão, com mais velocidade a areia escapava.
-“ Mamãe, mas assim a areia cai !!! “
-“ Eu sei, agora abra completamente a mão…“
A menina obedeceu mas veio um vento forte e levou consigo a areia que restava em sua mão.
– “ Assim também não consigo mantê-la em minha mão!“
A mãe, sempre a sorrir disse-lhe:
-“ Agora pegue outra vez um pouco de areia e
deixe-a na mão semi-aberta como se fosse uma colher… bastante fechada para protegê-la e bastante aberta para lhe dar liberdade.“
A menina experimenta e vê que a areia não escapa da mão e está protegida do vento.
-“ É assim que se faz durar um amor“.

Amores

„Os meus amores de um instante valem por amores de um século“ (Apollinaire)